sexta-feira, 25 de setembro de 2009

"Dos «Poemas inconjuntos»"

"Dizes-me: tu és mais alguma coisa
Que uma pedra ou uma planta.
Dizes-me: sentes, pensas e sabes
Que pensas e sentes.
Então as pedras escrevem versos?
Então as plantas têm ideias sobre o mundo?

Sim: há diferença.
Mas não é a diferença que encontras;
Porque o ter consciência não me obriga a ter teorias sobre as coisas:
Só me obriga a ser consciente.

Se sou mais que uma pedra ou uma planta? Não sei,
Sou diferente. Não sei o que é mais ou menos.

Ter consciência é mais que ter cor?
Pode ser e pode não ser.
Sei que é diferente apenas.
Ninguém pode provar que é mais que só diferente.

Sei que a pedra é a real, e que a planta existe.
Sei isto porque elas existem.
Sei isto porque os meus sentidos mo mostram.
Sei que sou real também.
Sei isto porque os meus sentidos mo mostram,
Embora com menos clareza que me mostram a pedra e a planta.
Não sei mais nada.

Sim, escrevo versos, e a pedra não escreve versos.
Sim, faço ideias sobre o mundo, e a planta nenhumas.
Mas é que as pedras não são poetas, são pedras;
E as plantas são plantas só, e não pensadores.
Tanto posso dizer que sou superior a elas por isto,
Como que sou inferior.
Mas não digo isso: digo da pedra, «é uma pedra»,
Digo da planta, «é uma planta»,
Digo de mim, «sou eu».
E não digo mais nada. Que mais há a dizer?"

(Alberto Caeiro, in 'Poesia de Fernando Pessoa', 2006, Dos «poemas inconjuntos» escritos entre 1913-1915).

Para acompamhar este poema de Alberto Caeiro, deixo aqui duas versões da mesma fotografia tirada a 20/09/2009 nas encostas do Douro, na freguesia de Beira Grande-Carrazeda de Ansiães.

BOM FIM DE SEMANA PARA TODOS OS VISITANTES!

7 comentários:

Transmontana disse...

Belo poema e duas formas diferentes de mostrar, fotografando, a mesma linda paisagem!!!
Parabéns e votos de bom fim de semana!
Abraço
Anita

Andréa Amaral disse...

Essa Arrebentou a boca do balão!!!Sou apaixonada pelo Fernano múltiplo, vc sabe...Esse poema eu sempre gostei de recitar. Mais as fotos. Você é muito mais do que uma pedra e uma planta. Você é todas elas cristalizadas em átomos humanos.Beijão Alex.

aa disse...

Olá Anita,
é muito bom saber que outros também apreciam poesia... e que gostam dos poemas que vamos escolhendo para postar... era para postar estas fotos sem poema associado, para não se tornar muito repetitivo, mas... achei que este se adequava bem com esta foto... daí novamente, a escolha em simultâneo (foto+poema)...:)
Abraço,


Olá amiga Andrea,
eu sei que adoras Fernando Pessoa e seus heterónimos... fico feliz por saber que a escolha que fiz te agrada:) E que grande elogio esse de eu ser 'muito mais que uma pedra e uma planta'... muito obrigada por toda a consideração...
Beijinhos,

AA

ruimnm disse...

Das duas imagens tenho que dizer que prefiro a P&B.

Pedro Ferreira disse...

Um excelente selecção poética... quanto às fotografias, apesar de gostar das duas (particularmente do pormenor das nuvens), prefiro a versão em preto e branco...

Armindo C. Alves disse...

Como de costume o seu portal é uma óptima companhia. As suas escolhas são sempre de uma enorme sensibilidade,mexem com os sentimentos e vão para lá de uma mera leitura ou de uma avaliacão pictórica... Obrigado!
Boa semana.
Beijo.

Valentim Coelho disse...

Olá Alexandrina,
mais uma boa escolha.
Beijinhos.