quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

"Folhinha"


"Murchou a flor aberta ao sol do tempo.
Assim tinha de ser, neste renovo
Quotidiano.
Outro ano,
Outra flor,
Outro perfume.
O gume
Do cansaço
Vai ceifando,
E o braço
Doutro sonho
Semeando.

É essa a eternidade:
A permanente rendição da vida.
Outro ano,
Outra flor,
Outro perfume,
E o lume
De não sei que ilusão a arder no cume
De não sei que expressão nunca atingida."

(Miguel Torga, in Poesia Completa - Volume II, 2007)

4 comentários:

Carlos Leite disse...

Torga em terras distantes faz-nos ser pequenos Anteus.

boa a expressão atingida e a que atinge este blogue .Parabens...

www.pensarbasto.blogspot.com

aa disse...

Olá Carlos, seja muito bem vindo aos 'olhares soltos...' e obrigada pelo comentário.

AA

Vieira Calado disse...

Olá!
Passei para ver as novidades e desejar uma boa quadra carnavalesca.

Valentim Coelho disse...

Olá,
a flor é muito gira.
Bom Carnaval,
beijinhos